VOLUNTEER(S)olidarity

 

O PROJETO E PARCERIAS

O projeto VOLUNTEER(S)olidarity é um projeto de parcerias de voluntariado europeu desenvolvido no Centro de Juventude de Águeda e que conta com duas fases de mobilidade de voluntários. Esta página é referente à mobilidade individual de 305 dias que decorreu em 2019-2020.

O consórcio é constituído por:

Psientífica (Portugal)

Colectivo Gentes (Espanha)

Cubic – Cultur & Bildung im Context (Áustria)

YouNet (Itália)

You in Europe (Grécia)

Nuorisokeskus Marttinen (Finlândia)

Волонтерски Центар Скопје – Volunteers Centre Skopje (Macedónia)

CORPO EUROPEU DE SOLIDARIEDADE

O Corpo Europeu de Solidariedade(CES) é a nova iniciativa da União Europeia dirigida aos jovens, dando-lhes a oportunidade de fazer voluntariado ou de trabalhar em projetos, no próprio país ou no estrangeiro, em benefício de pessoas e comunidades de toda a Europa. Depois de se inscreverem, os participantes no Corpo Europeu de Solidariedade podem ser selecionados e convidados a integrar uma vasta gama de projetos. Os projetos apoiados pelo Corpo Europeu de Solidariedade podem durar entre dois e doze meses, decorrendo, regra geral, em países da União Europeia. Todos os jovens participantes no projeto pertencem ao CES.


O VOLUNTEER(S)olidarity é financiado pelo Corpo Europeu de Solidariedade.

AGÊNCIA NACIONAL ERASMUS+ JUVENTUDE EM AÇÃO

A Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Ação é a estrutura de missão que pretende assegurar a gestão, em Portugal, do Programa Erasmus+ nos domínios da juventude e do desporto, bem como assegurar a gestão e a execução das atividades ainda em vigor do Programa “Juventude em Ação”. Coordena ainda a rede de informação Eurodesk em Portugal. A AN Erasmus+ Juventude em Ação apoia Intercâmbios de Jovens, Voluntariado Europeu, Formação Internacional, Parcerias Estratégicas e eventos de Diálogo Estruturado. Presta apoio e informação na dimensão do Desporto e ao Corpo Europeu de Solidariedade do Erasmus+.

A Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Ação apoia o projeto VOLUNTEER(S)olidarity.

NECESSIDADES

1 | Aproximar a comunidade local da identidade europeia;

2 | Sensibilizar para a solidariedade, interculturalidade, diversidade e valores sociais europeus;

3 | Promover novas práticas diferenciadoras e aliciantes junto da comunidade jovem;

4 |  Criar espaços de interação e de diálogo intercultural entre voluntários europeus e a comunidade/jovens locais/região;

5 |  Criar pontes de ligação entre a comunidade local e a comunidade europeia.

OBJETIVOS

Os objetivos a curto prazo são:

1 | Promover práticas sociais, culturais e educativas ajustadas às necessidades dos jovens locais e da comunidade;

2 | Promover a diversidade e a interculturalidade;

3 | Capacitar os voluntários com novas competências e aprendizagens com base na ENF;

4 | Incentivar a atitude empreendedora, criativa e proativa dos voluntários;

5 | Sensibilizar a comunidade e organizações locais para a premência em potenciar atitudes empreendedoras para desenvolvimento da região;

6 | Promover a participação da comunidade local nas atividades dos voluntários;

7 | Promover os valores sociais europeus, nomeadamente a solidariedade;

8 | Partilhar boas práticas;

9 | Promover o reconhecimento das oportunidades da UE;

Os objetivos a longo prazo são:

1 | Reconhecer o potencial do voluntariado no desenvolvimento pessoal e social dos participantes; 

2 | Reconhecer o potencial do voluntariado na comunidade;

3 | Incentivar o envolvimento de instituições sociais e públicas nas práticas sociais, culturais e educativas e promover novas iniciativas;

4 | Contribuir para a melhoria das situações de exclusão social;

5 | Contribuir para a melhoria dos problemas da exclusão e discriminação social e a baixa participação social.

OS VOLUNTÁRIOS

Nome: Gemma Capomagi

Data de Nascimento: 26.09.1996

País: Bolonha, Itália

Hobbies e interesses: Ler, ouvir música e aprender sobre o campo artístico

Capacidades: Matemática

Nome: Eleni Kalandaroglou

Data de Nascimento: 29.04.1997

País: Thessaloniki, Grécia

Hobbies e interesses: Voluntariado, cinema, teatro e literatura

Capacidades: Estudante de Educação Básica

Nome: Borja Guillen

Data de Nascimento: 01.10.1995

País: Albacete, Espanha

Hobbies e interesses: Desporto, ler, pesquisa

Capacidades: Pesquisa etnográfica

Nome: Marijana Asprovska

Data de Nascimento: 12.04.1998

País: Skopje, Macedónia

Hobbies e interesses: Viajar, voluntariado, educação não formal

Capacidades: Treinador de soft skills

Nome: Santeri Kekäläinen

Data de Nascimento: 28.06.1997

País: Turenki, Finlândia

Hobbies e interesses: Música, fitness, escrever, ler

Capacidades: Tocar guitarra, escrever, costurar, artesanato

Nome: María Siles Moreno

Data de Nascimento: 14/02/2001

País: Granada, Espanha

Hobbies e interesses: Canto, desenho, cinema, a arte como forma de expressão

Capacidades: Criatividade, empatia, mente aberta

Nome: Christopher Gruber

Data de Nascimento: 26.01.1997

País: Wattens, Áustria

Hobbies e interesses: Passear na natureza, estar com amigos

Capacidades: Produzir música

RESUMO DAS ATIVIDADES

Advance Planning Visit – Reunião pré-mobilidade que reuniu em Águeda os voluntários e representantes das organizações de envio para reflexão e debate sobre a mobilidade de voluntariado e solidariedade, troca de contributos acerca da conceção e implementação das atividades, reflexão e definição dos planos de atividades, logística, financeiro e disseminação; comunicação constante e regular com os parceiros.

Individual volunteering – Atividades para integração do voluntário na comunidade, apoio linguístico, desenvolvimento de competências de empreendedorismo, relacionadas com a transformação de necessidades em ideias e ações, criação e implementação de projetos pessoais, atividades de reforço sócio pessoal e desenvolvimento de competências-chave, mentoria, promoção do diálogo intercultural e da solidariedade e atividades nos serviços educativos da Câmara Municipal de Águeda. comunicação constante e regular com os parceiros.

“As atividades colaborativas com os voluntários foram uma lufada de ar fresco que trouxeram alegria e dinamismo aos nossos alunos. Obrigada.” (Teresa Figueiredo, docente na EB de Valongo do Vouga)

BEACH IN MALIBU

Sê voluntário, podes ser tudo”: Beach in Malibu é o hino do projeto criado pelos voluntários. Tudo começou com a sensação de bem-estar quando os voluntários viram o mar em Portugal pela primeira vez e fizeram a comparação com terem a sensação que estarem em Malibu. Esse momento especial para o grupo deu origem a uma canção de promoção do Corpo Europeu de Solidariedade, cujo videoclip (versão portuguesa e inglesa) foi oficialmente apresentado no Dia Internacional do Voluntariado, nos Agrupamentos de Escolas de Águeda e de Águeda Sul e no encontro da Eurodesk em Guimarães.

A letra, a música e o videoclip são originais dos voluntários e servem para partilhar a sua experiência e motivarem outros jovens a voluntariarem-se porque “nunca saberás o que está fora da zona de conforto se não fores” voluntário.

ADVANCE PLANNING VISIT

De 18 a 21 de setembro de 2019 realizou-se a reunião prévia de planeamento do projeto VOLUNTEER(S)olidarity que trouxe voluntários europeus a Águeda durante dez meses. Nesta reunião, os voluntários e representantes das organizações de apoio tiveram oportunidade de conhecer-se, participar em atividades de educação não-formal, projetar atividades futuras, bem como aprofundar os laços de cooperação internacional. Na APV, os participantes tiveram também a oportunidade de conhecer a cidade e entidades como a ESTGA (Universidade de Aveiro) e a Câmara Municipal de Águeda, através da Biblioteca Municipal Manuel Alegre, Águeda Living Lab e Centro de Artes de Águeda.

“A APV foi uma atividade extremamente importante do projeto, porque durante a reunião prévia à mobilidade pudemos perceber concretamente a decisão que estávamos a tomar. O encontro com partes interessadas e a presença dos representantes das nossas organizações de envio também foi importante, porque partilhámos conhecimentos e expectativas para percebermos se realmente queríamos participar. Eu quis e 100% de mim não se arrependeu!” (Santeri Kekalainen, voluntário finlandês)

“Num dia comum, de manhã cedo, com a Marijana, a futura voluntária, chegamos a um local adorável chamado Águeda para a reunião da APV. Depois de algumas atividades com os nossos parceiros, a Psientífica levou-nos a conhecer as instalações, as partes interessadas e a sua equipa, fiquei tão surpreso com o fato de tudo funcionar perfeitamente e ainda com ciúmes de não ser voluntário neste lugar adorável, sob os guarda-chuvas. Alguns meses depois, voltei para um Training Course. Lugar incrível e boa parceria! Obrigado!” (Goran Galaboff, representante do parceiro Volunteers Centre Skopje do Norte da Macedónia)

TEAMBUILDING

As atividades iniciais de team building tiveram o intuito de motivar para o projeto, dar a conhecer os voluntários, a instituição e o contexto, trabalhar a coesão de grupo, as expectativas e o bem-estar dos voluntários. Este tipo de atividades permitiu aprofundar as relações sociais e o conhecimento pessoal num ambiente descontraído, uma vez que foram usadas metodologias de educação não-formal para trabalhar o auto-conhecimento, auto-controlo, motivação, skills sociais e empatia.

“No início deste projeto tivemos algumas atividades de team building que foram realmente importantes, úteis e necessárias. Nesta nova realidade da minha vida, estas atividades deram-nos a oportunidade de nos conhecermos melhor e aprendermos como podemos trabalhar juntos. Começámos a partir daí a construir uma relação forte e a encontrar a dinâmica do nosso grupo. Também refletimos sobre nós mesmos, os nossos propósitos para estar no projeto e também sobre as nossas expectativas.” (Eleni Kalandaroglou, voluntária grega)

APOIO LINGUÍSTICO, MENTORIA E SUPERVISÃO TÉCNICA

Os voluntários aprendem a Língua Portuguesa através do Online Linguistic Support (OLS), mas foi-lhes providenciado um conjunto de sessões presenciais entre pares com uma professora e alunos voluntários da ESTGA (Universidade de Aveiro). Todas as semanas os voluntários reúnem com a mentora, com a qual partilham expectativas, gerem o seu mundo interno e fazem dinâmicas de promoção da coesão de grupo e do bem-estar emocional. Atividades de mentoria reforçada como meditação, atividades de mindfulness e de saúde, desporto e lazer foram efetuadas. A supervisão técnica capacita o desenvolvimento, implementação e avaliação das atividades e todas as semanas há um momento privilegiado de reflexão e integração de informação para promover o crescimento dos voluntários em termos pessoais e sociais.

Ser mentora é tornar-me a cada semana mais auto-consciente das ideias pré-concebidas que todos vamos construindo (porque culturalmente condicionados), dos automatismos de pensamento e de ação quando perante novos desafios, novas personalidades e novas culturas. É transcender todos os dias barreiras culturais, mas especialmente interpessoais, é comunicar muito, motivar bastante, compreender ainda mais e ter o coração e os braços sempre abertos! (Diana Simões, mentora dos voluntários)


“Para mim, a plataforma é útil para aprender algumas construções gramaticais básicas, vocabulário e descobrir cenários da vida real onde se podem usar as frases.” (Marijana Asprovska, voluntária do Norte da Macedónia)

ATIVIDADES DE SAÚDE, DESPORTO E LAZER

No sentido de reforçar a mentoria e promover o bem-estar físico e emocional dos voluntários, semanalmente foi privilegiado um momento para atividades de saúde, desporto e lazer. Estas atividades foram providenciadas tanto pela organização, como pelos voluntários, mas também com o envolvimento de novos stakeholders como o AK Águeda – Associação Karate de Águeda e o Áshrama Águeda – Centro do Yoga. Todas as sextas-feiras, a organização oferece o almoço aos voluntários e técnicos de juventude no sentido de promover a convivência em harmonia num ambiente relaxado.


“As atividades de saúde, desporto e lazer são sempre uma bela situação para passarmos tempo juntos, ou para termos momentos apenas para nós mesmos. Cada um de nós, por sua vez, consegue se expressar-se compartilhando interesses e hobbies com o grupo.” (Gemma Capomagi, voluntária italiana)


“Neste projeto, realizamos atividades de saúde, desporto e lazer todas as semanas! Cada voluntário foi responsável por organizar uma atividade para o restante do grupo. Foi um processo muito bom, porque tivemos a oportunidade de passar tempo juntos, passar bons momentos, conhecermo-nos muito melhor e, normalmente, experimentar algo de novo. Nesse contexto, assistimos a filmes interessantes, tivemos grandes e profundas conversas sobre temas sociais, praticamos desporto, pintamos etc.” (Eleni Kalandaroglou, voluntária grega)
(Marijana Asprovska, voluntária do Norte da Macedónia)


“Ter a oportunidade de reunir todos os técnicos do CJA semanalmente com os voluntários numa refeição é um momento importante para perceber as dinâmicas do grupo e aproximarmo-nos da realidade dos jovens. Só por si é enriquecedor para quem lida com jovens e tem de implementar atividades junto dos mesmos, uma vez que mais facilmente compreende as suas necessidades e aspirações.” (Joana Namorado, técnica de juventude do CJA)

FORMAÇÃO

Além do acompanhamento assíduo em termos de capacitação para o planeamento, implementação e avaliação de atividades, ao longo do projeto foi providenciada aos voluntários formação sobre:

– Erasmus+ Juventude em Ação
– Corpo Europeu de Solidariedade
– EEA Grants
– Escrita de projetos
– Planificação de atividades
– Educação formal, não-formal e informal
– Sistemas educativos na Europa
– Robótica, impressão e modelação 3D
– Workshop sobre edição de vídeo
– Youthpass e Key Competences
– Cozinha portuguesa
– Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
– Youth Goals

Os voluntários também foram capacitados para providenciarem as suas próprias formações aos outros voluntários, no sentido de partilharem os seus conhecimentos e por isso os voluntários tiveram formação sobre:

– Objetivos SMART
– Soft skills
– Diálogo intercultural
– Comunicação, escuta ativa e feedback
– Arte terapia e mindfulness
– Origami
– Danças gregas, italianas e espanholas
– Sensibilização às línguas grega, espanhola, macedónica, finlandesa, italiana e alemã
– Gestão de ansiedade


“Tivemos muitos workshops diferentes fornecidos pelas diversas partes interessadas do projeto. Participamos de aulas de karaté, yoga, modelagem 3D etc. Foi um ótimo complemento para o projeto!” (Marijana Asprovska, voluntária do Norte da Macedónia)


“Tivemos muitos workshops diferentes fornecidos pelas diversas partes interessadas do projeto. Participamos de aulas de karaté, yoga, modelagem 3D etc. Foi um ótimo complemento para o projeto!” (Marijana Asprovska, voluntária do Norte da Macedónia)


“Os workshops que preparamos para outros voluntários foram uma boa forma de aprendermos uns com os outros” (Borja Muñoz, voluntário espanhol)

FORMAÇÕES ON-ARRIVAL E MID-TERM

A Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Ação providencia formação e avaliação do voluntariado europeu, tanto à chegada como a meio do processo de aprendizagem não-formal dos voluntários. Na On-Arrival, os voluntários tiveram oportunidade de conhecer outros voluntários europeus e o país anfitrião, estabelecer contactos, e partilhar experiências, trabalhando competências de comunicação e aprendizagem intercultural. O Borja, o Christopher a Eleni e a Gemma participaram na formação à chegada que decorreu de 18 a 23 de novembro de 2019 em Braga. O Santeri, a María e a Marijana participaram na On-Arrival de 3 a 8 de dezembro de 2019 em Fafe, onde os voluntários fizeram parte da animação da comemoração do Dia Internacional do Voluntariado. A formação MidTerm foi realizada online e participaram na FI03 de 20 a 22 de maio de 2020 o Santeri, a Gemma, a Eleni e o Chris, na FI04 de 24 a 26 de junho de 2020 Borja e na FI05 na mesma data, a Marijana e a María.

“A formação on-arrival foi uma experiência fantástica, tanto em termos educaxionais como sociais.” (Santeri, voluntário finlandês)


“Foi uma experiência fantástica pela variedade de atividades preparadas para nós. Aprendi muito sobre outros países e passei bom tempo com pessoas maravilhosas que conheci” (Christopher, voluntário austríaco)

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

A Agenda 2030 é uma agenda alargada e ambiciosa que aborda várias dimensões do desenvolvimento sustentável (sócio, económico, ambiental) e que promove a paz, a justiça e instituições eficazes. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável têm como base os progressos e lições aprendidas com os 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, estabelecidos entre 2000 e 2015, e são fruto do trabalho conjunto de governos e cidadãos de todo o mundo. A Agenda 2030 e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são a visão comum para a Humanidade, um contrato entre os líderes mundiais e os povos e “uma lista das coisas a fazer em nome dos povos e do planeta”.

O Sustainable Development Goals LABS é um projeto financiado pela Agência Erasmus + Educação e Formação que visa a educação, capacitação e formação de adultos, com baixos níveis de competências, articulando o tema da responsabilidade social perante os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.
A Técnica da Juventude responsável pelo projeto sensibilizou os voluntários para os ODS através de um workshop, numa lógica de preparação do TC, no âmbito deste projetos. Os voluntários foram encorajados a pensarem em problemas que se encaixavam em cada ODS (tanto no seu país de origem, em Águeda) e de elaborarem soluções para os mesmos. 

A Marijana e o Santeri promoveram um quizz no Instragram do Centro de Juventude e Águeda para sensibilizar os jovens para o assunto e testarem os seus conhecimentos.


Para fazerem uma promoção dos ODS entre pares, os voluntários também prepararam workshops sob supervisão do CJA, onde trabalharam especificamente o ODS 3 – Saúde e bem-estar e o 10 – reduzir igualdades.


Também os projetos pessoais foram orientados para os objetivos de desenvolvimento sustentável

PROJETOS PESSOAIS

Transformar ideias em ações é um dos propósitos do projeto. Independentemente do tema, havendo interesse dos voluntários e necessidade dos envolvidos, os voluntários tiveram a oportunidade de criar um projeto pessoal que respondesse a Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a European Youth Goals. Todos os projetos foram pensados a serem operacionalizados presencialmente, mas com a pandemia todos foram transformados numa versão online. A própria mudança foi um momento de aprendizagem por requerer compreensão, adaptação, resiliência e pró-atividade.

O Borja Muñoz de Espanha fez o projeto “Intercultural + Media Education” para prevenir que jovens fiquem suscetíveis a ideologias extremistas e através do hashtag #buildingdiversity incentivou a partilha de desconstrução de fake news. ODS 4, 10 e 16; EYG 1, 4 e 6.

O Christopher Gruber da Áustria preparou uma ação solidária para com os animais da A4 – Animais Águeda, em que os voluntários limpam as boxes dos cães, providenciam cuidados de higiene e sobretudo dão miminho aos animais abandonados. Além disso no Facebook do CJA incentivou as pessoas a partilharem durante a quarentena as fotografias dos seus animais de estimação e a cudarem deles porque os animais não transmitem Covid-19. ODS 3; EYG 1 e 10.


Para fazerem uma promoção dos ODS entre pares, os voluntários também prepararam workshops sob supervisão do CJA, onde trabalharam especificamente o ODS 3 – Saúde e bem-estar e o 10 – reduzir igualdades.


O Santeri Kekalainen da Finlândia tinha proposto uma ação sobre prevenção do bullying, Power over You, a implementar junto de jovens do ensino secundário. Perante a impossibilidade, fez um live no Instagram onde esclareceu questões sobre o bullying numa perspetiva de passar a mensagem positiva de que há esperança, é necessário partilhar e desmistificar. ODS 3, 4 e 5; EYG 1, 2, 3 e 5.


A Gemma Capomagi de Itália fez um projeto sobre Orientação Sexual e Identidade de Género para jovens, cuja versão online passou pela partilha no facebook de trailers de filmes que abordam essas mesmas questões e promoveu um debate nos comentários aos filmes. ODS 5, 8, 9, 10 e 16; EYG 1, 2 e 3.


A Marijana Asprovska da Macedónia do Norte queria promover a interculturalidade e os valores europeus junto dos jovens, então no Instagram através de stories promoveu um quizz com perguntas sobre a União Europeia, cultura, geografia, entre outros. ODS 4 e 6; EYG 1, 4, 8, 9, 11.


A Eleni Kalandaroglou escreveu um projeto de prevenção de relações tóxicas nos jovens e a versão online passou pela partilha de frases inspiradoras que foram comentadas por jovens nos posts do Facebook e sobre as quais promoveu reflexão e uma perspetiva de self-empowerment. ODS 3 e 4; EYG 1, 2 e 5.


“As atividades que os voluntários desenvolveram no Centro Social e Paroquial da Borralha, contribuíram sem dúvida, para o enriquecimento pessoal dos nossos utentes, deixando-lhes na memória um encontro animado e no coração a esperança de os voltar a ver. Foram encontros onde houve momentos de partilha intercultural entre jovens e seniores.” (Ana Catarina Loubatieres, Animadora Sociocultural do Centro Social e Paroquial da Borralha)

Borja

267px-PDF_file_icon.svg

Chris

267px-PDF_file_icon.svg

Eleni

267px-PDF_file_icon.svg

Gemma

267px-PDF_file_icon.svg

Maria

267px-PDF_file_icon.svg

Marijana

267px-PDF_file_icon.svg

Santeri

267px-PDF_file_icon.svg

SEMINÁRIO KA1 YOUTH 19.27- BUILDING NEW STRATEGIES FOR YOUTH

No seminário que decorreu entre 20 a 24 de janeiro, Técnicos de Juventude foram capacitados para elaborarem estratégias juvenis de inclusão social, de diálogo europeu, diversidade cultural e de construção da identidade da Europa, tendo por base as 6 boas práticas das Ex-Capitais Europeias da Juventude. Os voluntários participaram na preparação logística e na implementação de atividades do seminário.

TRAINING COURSE KA2 YOUTHLAND 19.27

Em Águeda, entre 20 a 23 de janeiro, este TC, euquadrado no projeto de longa duração “Youhtland 19.27”, focou-se na sistematização, partilha e debate das boas práticas de forma a desenvolver os melhores métodos a aplicar e a transmitir aos jovens, que serão aplicadas em todos os países parceiros. Os voluntários participaram na implementação das atividades e na preparação da formação, prestando apoio técnico e logístico, ao mesmo tempo que meteram em prática os conhecimentos de Educação Não-Formal adquiridos com o CJA.

TRAINING COURSE SUSTAiNABLE DEVELOPMENT GOALS LABS

Em Águeda, entre os dias 10 e 14 de fevereiro de 2020, a formação do CJA focou-se na capacitação de técnicos de juventude de Portugal, Estónia e Itália com ferramentas e metodologia necessárias para implementar os Laboratórios ODS a nível local. Os voluntários participaram no planeamento logístico e na implementação do TC, ficando responsáveis pelos energizers diários, dinâmicas de get to know, team building e youthpass. Durante o TC aprenderam mais sobre os ODS e participaram na elaboração de propostas/soluções para os problemas apresentados, que se encontravam enquadrados nos ODS. 

DIA INTERNACIONAL DAS CIDADES EDUCADORAS

O Município de Águeda, consciente do papel fundamental da Educação para a construção de uma sociedade coesa, inclusiva e participativa, assume-se como uma Cidade Educadora com personalidade própria. Para além das suas funções tradicionais, reconhece, promove e exerce um papel educador na vida dos cidadãos, tendo como desafio permanente a formação integral de seus habitantes. Em Águeda, as diferentes políticas, espaços, tempos e atores são compreendidos como agentes pedagógicos, capazes de apoiar o desenvolvimento de todo potencial humano. Os voluntários representaram o Centro de Juventude de Águeda nesta comemoração, através de atividades de educação não-formal junto de crianças na EB de Travassô no Agrupamento de Escolas de Águeda Sul.

“Foi interessante desenvolver atividades com as crianças porque elas estavam alegres por nos terem lá e perceberam o propósito da atividade” (Marijana Asprovska, voluntária macedónica)

DIA MUNDIAL DA LÍNGUA PORTUGUESA

O Dia Mundial da Língua Portuguesa comemorou-se pela primeira vez a 5 de maio de 2020, tendo sido proclamado pela 40.ª Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em novembro de 2019. Os voluntários deixaram o seu testemunho num vídeo partilhado no Facebook do CJA, onde falam sobre a aprendizagem da língua.

DIA INTERNACIONAL DO VOLUNTARIADO

A 5 de dezembro de 2019 celebrou-se o Dia Internacional do Voluntário em Guimarães para dar a conhecer o Corpo Europeu de Solidariedade e o voluntariado europeu, contando com a presença dos nossos voluntários que estavam a participar na Formação Intermédia em Fafe e que fizeram a primeira apresentação pública ao vivo da canção Beach in Malibu por si criada. Neste evento os voluntários tiveram a oportunidade de conhecer o Dr. João Paulo Rebelo, Secretário de Estado da Juventude e do Desporto. Já em Águeda, outros dos nossos voluntários desenvolveram nas escolas secundárias da cidade atividades de educação não-formal para partilharem os seus testemunhos sobre a experiência do que é ser voluntário europeu e para motivarem os jovens a inscreverem-se e candidatarem-se a projetos do Corpo Europeu de Solidariedade e Erasmus+ Juventude em Ação.

“Em Guimarães tive uma experiência incrível por conhecer e compartilhar a experiência que muitos jovens como eu estão a viver, dá a sensação de que muitas pessoas este estão a apoiar.” (María Siles, voluntária espanhola)

“Nas escolas de Águeda propusemos uma pequena atividade teatral em que estávamos a representar as nossas vidas. Foi muito engraçado prepararmo-nos juntos para a apresentação!” (Gemma Capomagi, voluntária italiana)

EURODESK: TIME TO MOVE

Outubro foi o mês do Time To Move que tem como objetivo apresentar oportunidades para os jovens e projetos Erasmus+/CES. Chegámos a 326 participantes nas nossas sessões e os nossos voluntários estiveram presentes nas sessões que decorreram em diferentes escolas a dinamizar atividades, partilhar o seu testemunho e também a disseminar oportunidades.

“Eu acho que a melhor maneira de enviar uma mensagem e motivar é conhecendo as pessoas que estão a viver essa mesma experiência, por isso é sempre incrível partilhar testemunhos e sentir que estamos a ser ouvidos.” (María Siles, voluntária espanhola)

BELAVISTA: ÁRVORES DE NATAL

A BelaVista – Centro de Educação Integrada organizou a segunda edição do projeto “Águeda – Terras das Árvores de Natal”, com o objetivo de contribuir para a transformação da cidade num lugar mágico, foram decoradas rotundas, pracetas e outros espaços públicos, incentivando a vivência do Natal. Recorrendo a materiais reciclados ou reutilizáveis, foram construídas 45 árvores de natal, espalhas por todo o concelho. Os voluntários construíram uma árvore de natal que representou o Centro de Juventude de Águeda.

“O desafio da árvore de natal foi inovador, fez-nos pensar fora da caixa por usarmos materiais recicláveis” (Santeri, voluntário finlandês)

“O CAA é um dos meus lugares favoritos em Águeda, tem sempre à disposição espetáculos interessantes e sentimo-nos bem num lugar cultural real. Todas as exposições estão muito cheias de estímulos para nós.” (Gemma Capomagi, voluntária italiana)

BIBLIOTECA MANUEL ALEGRE

Na Biblioteca Municipal Manuel Alegre os voluntários participaram nas atividades “Idade Maior” com população sénior, “A Biblioteca vai à Escola” junto de crianças do Centro de Educação Integrada Bela Vista e da Santa Casa da Misericórdia de Águeda e nas “Quartas-feiras ativas e criativas” com crianças e jovens onde desenvolveram atividades ligadas à arte e à leitura.

 

CENTRO DE ARTES DE ÁGUEDA

No CAA os voluntários participaram nas atividades do Projeto Educativo e Mediação de Públicos como presença no prémio de participação do concurso de árvore de natal da Belavista, assistência e acompanhamento da peça Mozartini para bebés, exploração de esculturas na instalação C_Vib, celebração do Dia do Amor com a peça Romeo Loves Juliet, celebração da Semana do Teatro com as peças Cardume e Catamarã, ambas para crianças.

ÁGUEDA LIVING LAB

O ALL é um espaço aberto à comunidade para o encontro de ideias, experiências, conhecimento, criatividade e inovação, onde se organizam workshops e outras iniciativas demonstradoras de tecnologia, com o objetivo de estimular uma perspetiva de real exploração e experimentação. É igualmente um espaço dedicado ao desenvolvimento de soluções interativas e inovadoras, orientadas para a comunidade. No Águeda Living Lab, os voluntários aprenderam sobre robótica, impressão e modelação 3D e acompanharam jovens nas suas atividades tecnológicas.

“A interação do ALL com os voluntários tem-se revelado uma mais-valia, não apenas devido às sinergias naturais com as atividades do Centro de Juventude Águeda, mas sobretudo pelo reconhecimento dos voluntários do ALL como um espaço também seu, onde podem desenvolver ideias e criar laços. Os voluntários que chegam até nós a cada ano tornam-se novas janelas do ALL deixando-nos a ver e ser vistos para lá da nossa escala local.” (Luís Arruda, técnico do Águeda Living Lab)

FREE HUGS

No dia em que se celebrou o amor, os voluntários distribuíram abraços por Águeda! A par de cada abraço os voluntários falaram com a comunidade juvenil sobre o Erasmus+ Juventude em Ação e o Corpo Europeu de Solidariedade, partilhando a sua experiência de voluntariado em primeira pessoa.

5 MUNICÍPIOS, 5 SENTIDOS

O Chris, a Marijana e o Borja fizeram gravações de testemunhos para “5 Municípios, 5 Sentidos”, um projeto de instalação artística sonora de Filipe Faria.

ESCOLA DO ROCK

A Escola do Rock Paredes de Coura https://escoladorock.paredesdecoura.pt/ nasceu em 2014, na terra do icónico Festival Paredes de Coura, contribuindo para o fomento deste já clássico romance entre a vila e o rock’n’roll.


É uma iniciativa da Câmara Municipal de Paredes de Coura e todo o programa de formação é dirigido pelo Space Ensemble, com uma experiente equipa de formadores.
O modelo de trabalho consiste em residências e campos de férias de curta duração (de 2 a 7 dias) preenchidas com ensaios, formação, sessões de cinema, jam sessions, concertos, demonstrações de instrumentos e workshops. No final de cada residência, ocorre um concerto de apresentação final que reúne cerca de 50 músicos em palco. A voluntária María Siles (cantora) de Espanha e do voluntário Finlandês (guitarrista) tiveram oportunidade de participar na Escola do Rock através da parceria do CJA com a CMPC.

As fotografias da Escola do Rock têm direitos reservados.

DIA DAS VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO

O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto é celebrado anualmente no dia 27 de janeiro, no aniversário da libertação do Campo de Concentração e Extermínio Nazi de Auschwitz-Birkenau pelas tropas soviéticas em 27 de janeiro de 1945. Os voluntários partilharam pontos de vista sobre esta celebração e o impacto que a II Guerra Mundial teve nos seus países.

LA CHANDELEUR

Na Escola Secundária Adolfo Portela, os voluntários comemoraram a Chandeleur, a festa dos crepes que ocorre anualmente e França e, além de fazerem crepes para os alunos, decoraram um avental sobre os seus países de origem e as iguarias típicas.

“Trabalhar com os voluntários é abrir as janelas da Escola para outros mundos.” (Regina Gaspar, docente da Escola Secundária Adolfo Portela)

III ENCONTRO DA DIVERSIDADE CULTURAL E DIÁLOGO PARA O DESENVOLVIMENTO

Este evento de parceria entre a Biblioteca Municipal Manuel Alegre e o centro de Juventude de Águeda teve em 2020 uma versão online. Os voluntários tiveram um papel preponderante na parceria pela promoção de solidariedade e multiculturalidade:
–  International Reading: Partilha de leitura e análise de textos na sua própria língua.
–  Human Library: Conversas online sobre diferentes aspetos culturais.
– Building Diversity: projeto específico do voluntário Borja de Espanha sobre fotografias, vídeos e notícias com o hashtag #buildingdiversity, de forma a combater notícias discriminatórias ou “fake news” e promover literacia.


Clique na foto para ver o vídeo do evento.

“Este ano atípico de 2020 desafiou a BMMA e o CJA na produção de mais um evento em maio. Foi com desempenho que com os voluntários conseguimos criar um programa digno do tema, com vídeos e partilhas de experiências de todos, valorizando as diferenças culturais e a liberdade. Um bem haja a todoxs!” (Léa Lopez, mediadoda de projeto na Biblioteca Municipal Manuel Alegre)

MULTICULTURAL COOKING

Ainda no âmbito do III Encontro da Diversidade Cultural e do Diálogo para o Desenvolvimento e para comemorar o Dia da Europa, os voluntários lançaram, com o apoio das organizações parceiras do projeto e da Biblioteca Municipal Alegre, o grupo no Facebook Multicultural Cooking, onde partilharam e promoveram a partilha de vídeos de receitas multiculturais. Este grupo teve 164 membros de todos os países da Europa.

ERASMUS: QUARANTINE IN PORTUGAL

Durante a pandemia os voluntários criaram o grupo no Facebook “Erasmus: Quarantine in Portugal”. Este grupo teve destaque na página da Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Ação, de quem usamos as palavras para descrever a iniciativa:

Viver as consequências da pandemia é difícil, desafiante e imprevisível em qualquer circunstância. A limitação da liberdade de circulação coloca-nos restrições às quais não estávamos habituados. A incerteza do futuro cria níveis de ansiedade anormais. E, naturalmente, a necessidade de cada pessoa ser, ela própria, um elemento fundamental na segurança e na saúde comunitária traz novas dimensões a um quotidiano já de si difícil. Mas existe um público para quem tudo isto ganha contornos ainda mais complicados. Tantas e tantos cidadãos do mundo que por muitas razões foram “apanhados” em Portugal quando tudo isto começou e por cá se mantiveram. Pessoas para quem também a língua portuguesa é um desafio, a somar aos tantos outros que esta época atípica acarreta.

Em Águeda, por entre as ruas de guarda-chuvas e o colorido de um frenesim associativo e cultural que precisou de acalmar, existe um grupo de jovens que por estes dias realizam o seu projeto de voluntariado ao abrigo do Corpo Europeu de Solidariedade. E como poderiam eles continuar o seu projeto, ou um projeto em que pudessem trabalhar, se precisavam de estar em casa? Diz o ditado que “a necessidade aguça o engenho” e, no caso, o engenho foi ao encontro das necessidades destes e de tantos outros. Com tantas regras, normas, legislação e obrigações que as instituições nacionais todos os dias emitem, é preciso que todos consigam compreender o seu conteúdo, o seu alcance e, a partir daí, possam corresponder e cumprir. Ora, com estrangeiros em Portugal e com um domínio da língua portuguesa em tantos casos ainda rudimentar, era preciso criar condições para universalizar, na medida do possível, o entendimento das regras.
Os voluntários da Psientífica colocaram mãos à obra, criaram um grupo no Facebook e começaram a traduzir para inglês a informação mais relevante e atual, de fontes credíveis e verificadas, para que outros estrangeiros a viver em Portugal possam aceder à informação de forma mais fácil e compreensível para todos. O Centro de Juventude de Águeda foi fazendo a ponte entre a informação e este grupo de voluntários, enviando-lhes os conteúdos mais recentes sobre a pandemia em Portugal, e estes moderam o grupo no Facebook “Erasmus: Quarantine in Portugal” para dar informação em inglês a jovens estrangeiros que se encontram em quarentena em Portugal:

 

Este grupo conta já com mais de duzentos membros e diariamente fornece informação credível sobre a Covid-19 em Portugal, normas, diretrizes e recomendações.
O objetivo fundamental é simples, mas relevantíssimo:

“O acesso de todos a informação útil acerca da Pandemia, informação essa veiculada pelas entidades competentes e que pela sua relevância deve ser compreendida também por quem vive no nosso país e não está familiarizado com a língua portuguesa”, afiança Elsa Corga, Vereadora da Juventude da Câmara Municipal de Águeda

Segundo o Borja, voluntário espanhol de Albacete,
“este grupo conecta jovens europeus que estão em Portugal a enfrentar o isolamento e permite mostrar que os voluntários são uma comunidade que pode ajudar nestas circunstâncias. O grupo é importante porque fornece informação credível traduzida de notícias sobre o que está a acontecer em Portugal e também porque me ajuda a pesquisar e a filtrar informação, a par de que aprendo português de uma forma útil. Espero que os jovens percebam que podem contar connosco em caso de dúvidas.”

Eleni, voluntária grega de Thessaloniki que faz parte desta equipa também realça que
“este grupo fornece informações específicas sobre medidas governamentais, medidas cautelares e recomendações, informações sobre a promoção da saúde física e mental, entre outros, para que os jovens estrangeiros estejam em constante atualização sobre a pandemia em Portugal, evitando a desinformação. Este grupo é uma experiência nova que me permite moderar um grupo e aprender português e inglês, ser responsável e faz-me sentir que estou a ajudar pessoas que precisam de saber o que está a acontecer no seu redor”.

Mas para além destes moderadores, voluntários que são ao mesmo tempo construtores de pontes na comunicação, parceiros de jornada de outros jovens voluntários na partilha de experiências e impulsionadores de esperança em tempos difíceis, um pouco por todo o país o impacto desta iniciativa fez-se sentir:

Marco Ruiu, voluntário italiano da AEVA também partilha a utilidade na iniciativa:
“Penso que este grupo é útil para entender como é realmente a situação em Portugal e para que as pessoas saibam como se comportar durante este período. O grupo fornece informações importantes sobre o COVID-19 e tenta criar uma rede entre aqueles que vivem esta situação.”

E assim, entre receios e esperanças, mas com a informação certa sempre à mão e o entusiasmo dos seus voluntários, esta comunidade continua a fazer do Corpo Europeu de Solidariedade um pilar sólido na construção do projeto Europeu e dos seus valores fundamentais

PODCAST EVERYTHING PORTUGAL

Os voluntários Marijana e Santeri criaram o podcast ¨Everything Portugal¨ sob Portugal, diferenças culturais, comida, Covid-19 e a vida depois de Portugal em 5 episódios.

Everything Portugal - Episode 1

Everything Portugal - Episode 4

Everything Portugal - Episode 2

Everything Portugal - Episode 5

Everything Portugal - Episode 3

A4 – ANIMAIS DE ÁGUEDA

Porque a solidariedade também foi levada aos animais, os voluntários estiveram na Associação A4 em vários dias a providenciar cuidados aos animais, limpar as boxes, brincar com os cães e ajudar nas construções no abrigo. Esta inicativa veio na continuidade das atividades dos voluntários dos projetos Erasmus+ Juventude em Ação VolunteersPoint 2.0 e Águeda Volunteering Land.

CRUZ VERMELHA

Numa perspetiva de solidariedade, os voluntários apostaram no diálogo intercultural através de um ¨intercultural pitch¨ de apresentações e um “world café” para partilha de conhecimentos.. A ideia era partilhar os costumes culturais dos voluntários com pessoas de fora. Nesta atividade, foi trabalhada a criatividade dos participantes, uma vez que tinham de desenhar e representar qual seria o seu país ideal e explicar as decisões tomadas, sendo que como resultados foram vistas conceções de países solidários, inclusivos, democráticos e sustentáveis. A atividade foi destinada a crianças e jovens, e adultos assistidos pela Cruz Vermelha de Águeda.

Também através da Cruz Vermelha, os voluntários estiveram nos bairros sociais do Gravanço e de Vale Domingos a desenvolver atividades interculturais e do meio ambiente com a comunidade, através de música, dança e a semear flores em vasos decorados pelos participantes.

“Muito obrigada aos voluntários do Centro de Juventude de Águeda que nos ajudaram a enriquecer o nosso trabalho e que de uma forma tão atenciosa e inteligente, demonstraram às famílias por nós acompanhadas a mais valia em continuar os estudos e também em aprender com culturas e países diferentes. Com estas pequenas/grandes ações aumentam a possibilidade de construirmos um futuro melhor onde a responsabilidade desta construção é partilhada por todos” (Equipa do RSI Delegação de Águeda da Cruz Vermelha Portuguesa)

CENTRO CULTURAL E RECREATIVO DE AGUADA

Os voluntários trouxeram o CAAB no CJA numa nova parceria. Nesta atividade foram, à semelhança do trabalho com a Cruz Vermelha, projetados países ideias e houve partilha de culturas dos participantes e dos países de origem dos voluntários.

FESTIVAL DOS CANAIS

Com direção artística do AgitLab, os voluntários participaram no desenvolvimento de vários projetos de preparação do festival dos Canais em Aveiro. Por um lado, ajudaram na construção de barcos de bambu para o projeto ¨AGITÁgua¨ e, por outro, em “Walkduct” uma caminhada performativa em modo lunar, resultante da colaboração do cientista Bernard Foing.

FAREWELL ACTIVITIES

No final da mobilidade foi altura de celebrar as aprendizagens, a experiência e perspetivar o futuro. Foram realizadas sessões de saúde, desporto e lazer com o CJA onde houve dança e exercício físico, convívios informais. Na festa interna de despedida, que contou com um bolo com o logotipo do projeto e oferta de um kit de presentes aos voluntários, também lhes foi entregue o Youthpass e um Booklet do Voluntariado, um portefólio de educação não-formal com o registo de todas as atividades desenvolvidas, com descrição, objetivos, número de participantes e fotografias.

YOUTHPASS

Os voluntários adquiriram e desenvolveram muitas competências com a sua experiência no Corpo Europeu de Solidariedade. No sentido das suas competências serem reconhecidas, os voluntários receberam o seu Youthpass no final da mobilidade. O certificado Youthpass ajudou os voluntários a refletirem sobre as suas aprendizagens e a integrarem competências chave essenciais para as suas vidas.

VISIBILIDADE E DISSEMINAÇÃO

 A ida à Rádio Soberania 99.3 partilhar a experiência no projeto e promover o CES. Carregue na imagem para aceder à conversa. 

A ida à Rádio Soberania 99.3 partilhar a experiência no projeto e promover o CES.

 Entrevista da Marijana à rádio Terranova já depois de voltar a casa:

VÍDEOS TRIMESTRAIS

Aqui podem encontrar outros vídeos realizados pelos voluntários ao longo do projeto, bem como o resumo de atividades principais realizadas.

RESULTADOS/IMPACTO

O VOLUNTEER(S)olidarity permitiu:
a) Desenvolvimento de competências e aprendizagens com base na educação não-formal;
b) Assente na reflexão, partilha, postura crítica, debate e contributos pessoais e de grupo, a capacidade de ajuste das ações, a diferentes contextos e grupos sociais, por forma a potenciar a mudança da mentalidade e dos paradigmas sociais na comunidade;
c) A promoção de novas metodologias e novas formas de consciencialização, a criar cidadãos conscientes, ativos e sensibilizados para as necessidades e para as prioridades da União Europeia;
d) Maior abertura à diferença cultural e maior interesse em conhecer culturas europeias, diminuindo os juízos de valor, fruto de experiências positivas de diálogo intercultural;
e) Aumento do conhecimento do CES e das oportunidades promovidas por este programa para aprendizagens marcantes, a nível pessoal, social, profissional e cultural;
f) Maior motivação dos jovens da região para conhecer melhor a natureza do CES e, particularmente da solidariedade, para que haja um caminho percorrido entre o local e o Europeu no voluntariado, mas também a nível de percursos formativos e profissionais;
g) Consolidação da visibilidade do projeto de solidariedade na região;
h) Aumento de estratégias diversificadas nas organizações sociais da região em implementar projetos internacionais, que envolvam jovens de diferentes países europeus;
i) Valorização da ENF como metodologia para o desenvolvimento de competências transversais junto dos jovens;
j) Maior reconhecimento das diferentes formas de envolver os jovens no diálogo intercultural;
k) O poder da educação não-formal e da construção de conceitos relativos à interculturalidade e tolerância no desenvolvimento de atitudes de inclusão e aceitação da diferença, características responsáveis por uma cidadania ativa, responsável e consciente;
l) Identificação e partilha de boas práticas associadas aos papéis das organizações e dos técnicos da juventude nas dinâmicas sociais e escolares;
m) Levantamento de atitudes empreendedoras para a construção de projetos sociais que tenham impacto e envolvam a sociedade civil;
n) Valorização do voluntariado como oportunidade de aprendizagem, crescimento e desenvolvimento de competências essenciais para uma maior empregabilidade jovem, quer pelos voluntários, quer pelos jovens direta ou indiretamente ligados ao projeto;
o) Empoderamento de voluntários europeus e das organizações envolvidas, para atuarem civicamente e socialmente nas suas comunidades de origem;
p) Melhoria substancial no trabalho juvenil europeu, que promove o diálogo intercultural e o empreendedorismo e a participação juvenil em questões de comunidade;
q) Continuidade e melhoria das parcerias entre as organizações envolvidas e novas parcerias;
r) Contribuição para os objetivos da Europa 2020 e Estratégia da UE para a Juventude 2019-2027 em empregabilidade e inclusão social, Youth Goals e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável;
s) Participação melhorada em atividades desenvolvidas para e pelos voluntários;
t) Consciencialização para as oportunidades existentes a nível europeu, quer pelo Programa Corpo Europeu de Solidariedade, como o Programa Erasmus+;
u) Sensibilização para os valores sociais europeus, para a diversidade e para a multiculturalidade;
v) Sensibilização para questões sociais e reconhecimento da solidariedade, da partilha, do diálogo e da inclusão como valores para a mudança social;
w) Desenvolvimento de competências pessoais e sociais no âmbito da educação não formal e nas atividades desenvolvidas;
x) Influência de outros grupos sociais e/ou comunidades acerca do voluntariado;
y) Adoção de atitudes mais conscientes, proativas e solidárias para elementos com culturas e com contextos sociais distintos;
z) Promoção de novas atitudes, posturas e linguagem inclusivas na comunidade.

Este projeto é financiado pelo Corpo Europeu de Solidariedade e apoiado pela Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Ação.